Plásticos esterilizáveis e autoclaváveis

A esterilização deliberada de dispositivos e componentes feitos de plástico é projetada para destruir o máximo possível de microorganismos vivos, como bactérias, vírus, algas e seus esporos. Existem diversos métodos para a esterilização de plásticos. Dependendo do processo de esterilização utilizado, alguns materiais são mais adequados do que outros.

Plásticos autoclaváveis no vapor

Conforme DIN EN 285, toda a superfície dos objetos sendo esterilizados deve ser exposta a vapor puro de água saturada a 134 °C por pelo menos três minutos. A esterilização a vapor ou por autoclave é considerada o método mais seguro e mais barato entre todos os métodos de esterilização. Entretanto, as altas temperaturas de processo envolvidas a tornam menos adequada para materiais sensíveis a aquecimento e hidrólise.

  • PEEK para aplicações médicas
    TECAPEEK MT não demonstra perda significativa de propriedades mecânicas, mesmo em mais de 1500 ciclos de esterilização. Além disso, influências negativas adicionais como descoloração ou alteração de cor (amarelamento) ou mesmo calcificação não ocorrem acima de 1.500 ciclos.
  • PPSU de aplicação médica
    TECASON P MT não demonstra perda significativa de propriedades mecânicas até 800 ciclos de esterilização. Descoloração significativa não é vista abaixo de 1000 ciclos de esterilização. 
  • POM-C aplicações médicas
    TECAFORM AH MT não demonstra perda significativa de propriedades mecânicas até 800 ciclos de esterilização. Porém, é possível perceber descoloração a 200 ciclos de esterilização. Em torno de 500 ciclos de esterilização, uma mudança de cor (amarelamento) também pode ser percebida.
  • PP de aplicações médicas
    TECAPRO MT não demonstra perda significativa de propriedades mecânicas até 800 ciclos de esterilização. Porém, descoloramento e mudança de cor (amarelamento) são percebidos a 200 ciclos de esterilização (não se aplica a TECAPRO MT preto). 

Testes de esterilização foram realizados usando-se espécimes plásticas de testes sem ciclos de limpeza. A temperatura de esterilização foi de 134°C com tempo de esterilização de 10 min. e tempo de secagem de 20 min. A pressão da câmara era de 3 bar. Outros efeitos influenciando o processo de limpeza (com Ecolab, Borer etc.) não foram investigados. Devido à resistência química dos materiais individuais e experiência prática, é necessário assumir que os ciclos de limpeza possuem uma influência significativa na resistência à esterilização. A resistência à esterilização, especialmente de PP-HT e, em menor grau, POM-C, é significativamente afetada por isso. Deve-se, portanto, presumir que a resistência à esterilização será significativamente mais baixa do que o descrito. Tipicamente definimos PP-HT com aproximadamente 200 ciclos de esterilização e POM-C com aproximadamente 300 - 400 ciclos.

outros métodos de esterilização

Ar quente

Com a esterilização por ar quente, os germes são eliminados por calor seco sob alta carga térmica (180°C) durante um período de pelo menos 30 minutos. Este processo já não é permitido devido a uma grande quantidade de fatores incertos e, portanto, agora foi substituído por outros métodos na maioria dos casos.

Materiais de aplicações médicas que são muito resistes a ar quente são:

  • TECAPEEK MT
  • TECAPEEK MT CF30
  • TECAPEEK MT CLASSIXTM

Materiais MT resistentes são:

  • TECASON P MT

TECAFORM AH MT e TECAPRO MT não são resistentes

Plasma

A esterilização com plasma de peróxido de hidrogênio é adequada para todos os plásticos, no entanto, é dispendiosa e requer equipamentos elaborados. Radicais hidroxi e hidroxilo altamente reativos matam os microorganismos a temperaturas de apenas 45°C em períodos de 45 a 80 minutos; o plasma é removido por ventilação. O risco de corrosão é quase inexistente e não há resíduo tóxico que exija desgasificação prolongada.

Materiais de aplicações médicas que são resistentes a plasma:

  • TECAPEEK MT
  • TECAPEEK MT CF30
  • TECAPEEK MT CLASSIXTM
  • TECASON P MT
  • TECAFORM AH MT
  • TECAPRO MT

Formaldeído e óxido de etileno

A esterilização com o uso de gás microbiocida, tal como formaldeído ou óxido de etileno, é sempre realizada a temperaturas entre 48 e 60°C. Devido às baixas temperaturas, este processo é adequado para materiais sensíveis à temperatura. A eficiência do formaldeído é comparável à do óxido de etileno, mas sua menor toxicidade permite tempos de desgaseificação mais curtos. Ambos são usados principalmente para artigos descartáveis.

Os materiais para aplicações médicas resistentes a gás são os seguintes:

  • TECAPEEK MT
  • TECAPEEK MT CF30
  • TECAPEEK MT CLASSIXTM
  • TECASON P MT
  • TECAFORM AH MT
  • TECAPRO MT

Esterilização por radiação gama

A esterilização por radiação é um método suave que é adequado para quase todos os tipos de plástico e usa raios gama ou um feixe de elétrons altamente acelerados. Esses processos são exigentes em termos de custos e equipamentos, portanto, eles são usados principalmente para esterilização de produtos descartáveis em escala industrial.

Materiais de aplicação médica que são resistentes à radiação gama são:

  • TECAPEEK MT
  • TECAPEEK MT CF30
  • TECAPEEK MT CLASSIXTM

Os materiais MT resistentes são:

  • TECASON P MT

TECAFORM AH MT e TECAPRO MT não são resistentes.