Plásticos com resistência química

Compatibilidade química, resistência química e resistência à corrosão são algumas das principais vantagens dos plásticos quando comparados aos metais. Ao escolher a família certa de polímeros, o usuário tem a possibilidade de suportar mesmo as condições ambientais mais severas, sem a necessidade de proteção adicional, como tratamento de superfície, pintura ou proteção catódica. No nosso portfólio de produtos, você encontrará materiais plásticos resistentes a ácidos específicos, polímeros resistentes a meios fortemente alcalinos, incluindo água quente e vapor, bem como plásticos resistentes a solventes. Os usuários também perceberão que podem escolher um plástico equilibrado resistente a produtos químicos adequado para uma variedade de usos finais.


As tabelas a seguir fornecem uma indicação de limites de pH e categorias de substâncias a serem utilizadas como guia geral para a resistência química plástica e para indicar onde diferentes famílias de produtos podem ser usadas, sob condições de temperatura ambiente sem carga mecânica.
*Classes reforçadas com fibra de vidro demostram uma resistência um pouco menor a álcalis fortes em comparação a classes não aditivadas.
**O PVDF reage sensivelmente ao contato com álcalis quentes causando rachaduras por tensão quando exposto a tensão mecânica. Os limites de exposição são pH 12 e 40°C, nenhum dos quais deve ser excedido.

O termo resistência química é geralmente usado para descrever a resistência de um material aos efeitos de produtos químicos. 

Na maioria dos casos, a resistência química inadequada aparece por inchaço ou amaciamento do material, o que pode resultar na perda de propriedades mecânicas e de capacidade de manutenção em geral. As moléculas do meio espalham-se no espaço entre as cadeias de polímero e as separam. Uma vez que a maioria dos processos de difusão dependem da temperatura, as especificações de resistência química devem ser sempre consideradas à luz da temperatura especificada pelas condições de teste. Os usuários devem ter cuidado especial ao usar polímeros termoplásticos amorfos na presença de produtos químicos que podem levar à formação de ruptura por tensão e à falha parcial. Micro rupturas podem se formar, o que pode eventualmente se transformar em grandes redes de rachaduras sob a influência de tensão mecânica.

Os critérios mais importantes para testar a compatibilidade química são temperatura, concentração química, período de exposição e carga mecânica. A tabela a seguir lista a resistência de diversos materiais a diferentes produtos químicos, com testes padrão realizados sob condições atmosféricas padrão 23°C/50% r.h. de acordo com DIN 50014.

Esta informação é fornecida conforme nosso melhor conhecimento atual e é projetada para fornecer dados sobre nossos produtos e suas aplicações. Portanto, não se destina a fornecer nenhuma garantia ou garantia legalmente vinculativa da resistência química de nossos produtos ou sua adequação para uma aplicação específica. Os direitos de propriedade industrial existentes devem ser observados.

Se você deseja verificar a resistência de nossos materiais aos métodos comuns de higiene ou esterilização utilizados no setor alimentício, médico ou farmacêutico, clique aqui:
Em caso de dúvida, quando os meios desejados, as concentrações químicas ou as temperaturas não estão listados, ou quando há o envolvimento de misturas, recomendamos testar individualmente para verificar o comportamento do material e possíveis interações inesperadas sob condições de aplicação realistas.